terça-feira, fevereiro 27, 2007

MP3

MP3 = RIP?

E o senhor que se segue?

DRM = falta muito pouco para RIP.

Entretanto = Viva o Ogg!

7 comentários:

Francisco Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francisco Costa disse...

Qual será o destino do OGG?
É que no mercado existem centenas de aparelhos para ler o MP3, mas e o OGG ?
O sucesso do OGG depende agora muito dos fabricantes de aparelhagem electrónica que terão muito a dizer, mas até pode parecer óbvio que se livrem do MP3, porque só lhes vai traz custos, mas o MP3 já é muito famoso e vende bem.
Além disso uma vista de olhos em www.mp3licensing.com dá para perceber a quantidade de empresas que já adquiriram licenças para incluir o MP3 nos seus equipamentos, e a lista até é grande e tem grandes nomes.
Assim, parece que por enquanto reina e bem, porque se as empresas estão dispostas a pagar pelo MP3 é porque sabem que depois vão recuperar o investimento. A Thompson e a Fraunhofer Society parece que vão continuar a receber os lucros deste formato durante mais uns tempos.

jocaferro disse...

Caro Francisco Costa:
O problema não vem daí.
O problema vem da Alcatel-Lucent que de um momento para o outro descobriu que as patentes do MP3 lhe pertenciam, por intermédio da AT&T.
Vai daí e foi um passo até levar a M$ a tribunal exigindo 4,6 mil milhões de dólares (que como sabes nos EUA são biliões...), embora as verdadeiras razões se prendam com a patente do IPTV.
Chamo a atenção para o facto da M$ ter licenciado este formato à Fraunhofer, assim como milhares de firmas por esse mundo fora, mas a Alcatel/Lucent diz agora que anda muita gente a ganhar dinheiro com um formato que eles (embora tenha sido a AT&T) inventaram.
Uma pronúncia positiva por parte dos tribunais pode indicar acções à escala global contra todos os utilizadores, devidamente licenciados, além de aliviar os bolsos do tio Bill Portões.
É que é muita grana!
Já pensaste bem o que são 4,6 mil milhões de dólares?
Não sei caminho que esta acção judicial vai trilhar mas o receio está a matar o MP3.
É a merda das patentes. A M$ tem que aprender que quem com ferros mata com ferros morre. Mesmo assim duvido que a M$ aprenda alguma coisa com isto!
Abaixo as patentes sobre o software!
Já agora, vivas à Polónia!

jocaferro disse...

Ah!
Se a Alcatel/Lucent ganhar esta acção, a Fraunhofer/Thompson que se cuidem, embora não tenha a certeza quanto à aplicabilidade das sanções em território europeu.
Veremos.

Francisco Costa disse...

Isto vai ser um caso complicado porque a Alcatel/Lucent reclamam patentes para si, mas o mesmo se passa do lado da Fraunhofer/Thompson e agora como é se eu quiser licenciar o uso de MP3, vou pagar licenças a quem?! Acho que o melhor mesmo é mandar o MP3 às favas e adoptaqr qualquer coisa que seja livre de patentes, talvez OGG?|

jocaferro disse...

É precisamente isso!
Diversos formatos standard, AAC/iTunes/APPLE ou Windows Media, tentaram-se impor no mercado. Embora de qualidade muito inferior aos restantes o MP3 lá se foi aguentando. Esta deverá ser a machadada final.
Um dos grandes candidatos para "ganhar" esta guerra é o AAC.
Mas o Ogg, gratuito e open-source, tem uma palavra a dizer contra o AAC que embora seja um formato aberto exige pagamento.
Vamos lá ver o que isto dá.
Entretanto a maré não corre mesmo de feição aos DRM. De tal forma que alguns dos grandes produtores de títulos já estão a considerar a hipótese de vender os produtos sem DRM, mas avisando desde já que irá existir um aumento nos preços.

Nuno disse...

O leitor de cd já desapareceu praticamente do mercado. Faltará pouco para o mp3 também? Vamos a ver. :P

PS:
Obrigado mais uma vez pelo comentário.
Sim, de facto, fiz o dito shutdown ao PC, mas à minha querida EOS, claro que nao. :P