terça-feira, novembro 18, 2008

GARTNER, PARA QUEM AINDA TEM ALGUMAS DÚVIDAS...

Gartner, como todos certamente sabem, não é com toda a certeza uma das empresas mais favoráveis ao Software Livre e muito menos no que diz respeito a "Linux". Trata-se de uma empresa que tem por hábito emitir análises, estatísticas e inquéritos "independentes" a um certo monopólio em que tudo, "apenas por acaso", é favorável ao dito cujo. Outra coisa não seria de esperar - "não mordas a mão daquele que te alimenta...".
Contudo, esta empresa lembra-se de vez em quando de registar, de borla, algumas verdades que me deixam completamente estupefacto:

"And so it is with a survey done by the analysts at Gartner, during the months of May and June when the economic meltdown wasn't hovering over the minds of IT departments. (And indeed, all the other departments, too). According to a 274 companies polled in various industries in North America, Europe, and the Asia/Pacific region -including a cross section of small, midrange, and large enterprises -some 85 per cent of the companies have adopted open source software within their system, middleware, or application software stacks. And from back at the cusp of spring and summer, the remaining 15 per cent polled said that they were planning to deploy open source software within the next 12 months.

That's an expected move from pervasive to ubiquitous in a mere year."

Como é óbvio, e apesar dos factos, estes "independentes" auditores da Gartner não poderiam de deixar de meter a colherada para manter "alguém" na lista dos grandes pagadores e vai daí começam a inventar as teorias do costume e principalmente o Medo como é bem patente pelas chamadas de atenção a um eventual risco que advém de uma pseudo-violação de propriedade intelectual. Ora, violações são o prato forte de alguém que ainda não há muito tempo proclamava que "Linux" infringia centenas de patentes, embora passados mais de dois anos ainda nem uma única tenha aparecido.

Deixando essas tentativas de "terrorismo" proprietário-intelectual, o que é facto é que este inquérito mostra uma verdade que muitos não querem e ainda pior apenas tentam destruir. E a realidade é:

274 empresas inquiridas, um pouco por todo o mundo, afirmaram que open-source é uma realidade sendo que 85% delas já estão rendidas ao sabor da liberdade e as restantes 15% tem intenções de se libertarem das amarras no prazo de um ano.

Por agora nem me apetece comentar mais nada já que os números falam por si. Um pouco por todo o lado o movimento Livre vai crescendo e nada o fará parar.

oooopppppssss, um pouco por todo o lado talvez não já que ainda existem por aí uns governantes que não sabem o que se passa pelo mundo fora...


PS: Já que falamos em governantes gostei de ouvir o começo da ladaínha do nosso primeiro quando exibia o seu habitual paleio:

- "o Plano Tecnológico tinha por objectivo (...)"

Gostei de ouvir. Principalmente o tinha...

2 comentários:

ovigia disse...

boas,

excelente post.

pena é que os nossos pseudo-governantes prefiram só pensar neles e nas suas maozinhas quentes, as luvas agora que está frio são uma maravilha, e não pensem no futuro deste país e o aprisionem a uma empresa do passado que não sabe competir e que apenas usa os seus bilioes para escravizar os seus clientes e transformar países em seus feudos.

cumps,

rjnunes

jocaferro disse...

Obrigado.
Temos que lutar para ver se metemos juízo na cabeça de quem nos governa.
Também tenho acompanhado o teu trabalho...

Vamos para a luta. Sózinhos não somos nada, juntos temos o mundo na mão. :-)

@braço.