sábado, junho 14, 2008

NÃO PERCEBO PATAVINA DE SOM, SENÃO...

Tenho um amigo que me mostrou o programa Rosegarden a abrir.
Eu julgava que ele andava pelo mundo Mac, como andou durante muitos anos, mas fiquei surpreendido quando cheguei a casa dele e vi que utilizava Ubuntu!
Disse eu:
- "Eh pá, não estás a "fazer música" no Linux, pois não?

Respondeu-me ele:
- Estou e não sei como é que ainda não me tinha apercebido até onde iam os programas livres e abertos. Tinha poupado uns milhares de contos.
A princípio custou-me um pouco mas fui indo com o Mac e Ubuntu ao mesmo tempo para agora ficar apenas com este computador.
Estive há pouco tempo em Paris e Londres e nem calculas a quantidade de músicos que usam Linux e programas livres e abertos.
Principalmente em Paris, claro. Como tu sabes para mim o computador é um enigma insondável mas aquele pessoal por lá sabe programar e modifica os programas a seu gosto. Este que tenho aqui já não está como o original. Não preciso de todas as funcionalidades e um amigo francês desligou-mas. Outro trabalhou na apresentação gráfica para eu ter a disposição que mais gosto.
Isto é bestial!
Nunca pensei que um dia teria um programa apenas para mim e da maneira que eu queria!

Nem preciso de salientar a moral desta história, pois não!?

4 comentários:

brunomiguel disse...

A moral da história é não usar software livre, porque controlar o software e poder adaptá-lo ao que queremos não cabe na cabeça de ninguém. O que é bom é ser um pau mandado das aplicações! xD

brunomiguel disse...

José, diz ao teu amigo para experimentar o Dynebolic[1] e o Musix GNU+Linux[2], duas distribuições de GNU/Linux direccionadas para o áudio.

[1] http://dynebolic.org/
[2] https://www.musix.org.ar/wiki/index.php/Documentation

jocaferro disse...

Bruno Miguel:
O meu amigo para ligar um rato USB precisa que alguém vá lá a casa! :-))
Um computador para ele é um enorme mistério...
Se eu percebesse alguma coisa de música ainda tentava ajudar mas música para mim é só ouvir e mais nada!

@braço.

Miguel Guerreiro disse...

Creio que se devesse criar uma espécie de um agregador com estas histórias de sucesso do Software Livre/Aberto.

Tive cá um colega que comprou um portátil topo de gama, e claro, vinha com o Vista Home Premium (salvo erro), ele queixava-se que o sistema era lento em todos os aspectos e que crashava muito. Ao inico não acreditei, mas em coisa de 1 hora o sistema crashou-me 3 vezes sem que eu tenha puchado por ele.

Como na altura eu tinha sacado e gravado um CD do OpenSuSE 10.3 e estava mesmo a mão de semear, instalei-o. Conclusão, depois de actualizado e personalizado nunca mais se queixou de crashes, virus e desfragmentações. Agora anda aos pulinhos por causa do OpenSuSE 11.