terça-feira, janeiro 01, 2008

FLOP DO ANO - A RESSACA

Num post mais abaixo, Flop do ano, não coloquei os links para os vários rumores que andavam a circular pela net. E não o fiz porquê?
- Porque os rumores vieram através de pessoas conhecidas. Não se encontram em lado nenhum da net excepto aqui e nem sequer é uma constatação de algum facto provado e mais que provado.
E porque é que publiquei tal coisa?
- Apenas por serem 3 pessoas amigas a dizerem-me o mesmo e num período relativamente curto de mais ou menos uma semana. Por esse motivo considerei serem uns zuns-zuns e não a constatação de algum facto.

Todos quantos passam por aqui a ler os meus posts sabem perfeitamente que em todas as notícias que tem por base outras fontes estas estão devida e correctamente referenciadas além dos correspondentes links. Neste particular estou completamente à vontade e não será esta a questão que me roubará o sono.

Entretanto, apareceu por aqui, vindo de algum cano de esgoto, uma personagem que me fará tomar uma posição quanto à liberdade deste blog. Aviso, desde já, que esta crónica vai ser longa...

Anónimo lb disse...

também vou lançar uns boatos:
não poderia ser pior. mesmo junto do final do ano aparecem por aí uns zuns-zuns acerca dos rabetas nos açores, aka espécie de abafa a palhinha.

tem juizo pá!

Num outro post mais abaixo (presumivelmente) o mesmo personagem:

Anónimo lb disse...

é incrivel como podemos sempre mandar umas bocas e postas de pescada, sem citar fontes. já nao é a primeira, e pelos vistos nao vai ser a ultima que se especula sem provas.

deve ser do isolamento açoreano...

Vou começar pelo segundo que me parece ser mais fácil:
- Apesar dos links para a página oficial da M$ estarem bem sinalizados este personagem não os conseguiu ver. Não sei mais o que dizer acerca da cegueira de tal espécie de pessoa.
- Além disso é notório um remoque quanto ao isolamento açoriano. Além da cegueira, de não saber escrever "açorianos", e não só pois basta atentar no corolário de "como se redige tão mal", dá a entender que qualquer coisa vai mal naquela cabeça quanto ao facto de eu viver nos Açores ou quanto às maleitas do isolamento açoriano. Enfim, como não se responde a tolos...


Quanto ao primeiro:
Primeiramente pensei em não comentar nada acerca disto. Reconheço que seria a melhor resposta a uma diarreia mental deste género mas infelizmente não sou pessoa capaz de me conter e aí vai disto:
Seguindo o conselho deste ilustre e cobarde anónimo, vou ganhar juízo.
Ora e como se ganha juízo?
Irei passar a "censurar" os comentários. Fica a promessa que todos os comentários serão publicados, excepto os que tiverem um teor racista, xenófobo, língua-de-esgoto e discriminatório. Ou seja, tal como estes exemplos aqui colocados por alguém coberto pela capa do cobarde anonimato. Além disso os comentários aparecerão completos conforme os originais ou não aparecerão.

Além do grave problema mental que parece afectar tal anónimo cobarde e da porcaria que transborda daquilo a que num cidadão normal se chama cabeça deve ter a estranha mania que está a escrever no blog dele, ou melhor, na sua estrumeira!
Infelizmente, também se constata que deve ter algo contra os açorianos numa atitude que realça indubitavelmente as paranóias racistas/xenófobas que invadem os calhaus que substituiram a matéria cinzenta, se é que alguma vez tal matéria lá tivesse existido.

Tinha por norma manter este blog completamente livre mas a liberdade é uma palavra que muita gente não compreende nem respeita, como parece ser o caso desta espécie de pessoa, e como tal lá terá que vir o lápis azul cuidar que os comentários sejam filtrados.

Além de tudo o que demonstrou ser capaz ainda fica um perfeito assassinato da língua portuguesa. A única receita para tipos destes é mandá-los para a escola embora neste caso talvez já não reste muito a fazer.

Para despedida, fica a curiosidade do termo rabeta tal como definido no Dicionário da Língua Portuguesa da Priberam:
rabeta

de rabo

s. f.,
espécie de alvéloa (rabirruiva);
prov.,
rapariga espevitada, ladina;
sirigaita;
pop.,
charuto de picar, ordinário;
adj. f.,
diz-se de uma espécie de formiga muito pequena.
Quanto ao "espécie de abafa a palhinha" ele lá deverá saber do que fala assim como dos zuns-zuns acerca deste tema. Talvez um agente infiltrado, quem sabe?

3 comentários:

alexmgarcia disse...

Deixalo, isso é tatans com mania de superioridade... não se faz caso.

NFM disse...

O meu comentário foi à vida... porque faltava fazer o login.. :s
Paciência.. mas o que queria dizer era mais ou menos isto:

Foi uma resposta excelente, para comentários da treta, sim, mesmo da treta e que só merece um "Não aprovar", porque não fazem falta a ninguém.
Mania que são intelectuais.

E tenho pena, muita pena, que hoje em dia, se continue a ver tanta gente a não saber escrever português corretamente:
"contas-te"
"vis-te"

etc, etc...

Dá-me uma volta ao estômago.

Abraço,
Nuno

Paulo disse...

Epá Joca, não ligues o gajho é retardado (ainda deve ter borbulhas)

Abraço,

Paulo Barata