quarta-feira, janeiro 09, 2008

MS OFFICE 2003 SP3

Anda para aí uma polémica acerca deste Service Pack tornar o Office "impermeável" aos tipos de ficheiros mais antigos, segundo a Microsoft, com o intuito de estes constituírem um perigo potencial.

Desta vez, estou de acordo com o pessoal de Redmond.

Não lembra nem ao diabo que ainda ande por aí pessoal a usar ficheiros do tempo do DOS!

Ao longo dos tempos fui coleccionando, sabe-se lá porquê, ficheiros de toda a natureza e ainda tenho em casa um CD onde arquivo esses mesmos ficheiros só que desde 1998 nunca mais lhes pus a vista, ooopppsss, em cima e não espero tampouco fazê-lo agora.

Sinceramente, haverá alguém neste mundo que ainda utilize as centenas de obsoletos tipos de ficheiros existentes?
Melhor, já alguém andou a pesquisar quantos tipos é que o Excel consegue abrir?
Só alguém que passe a vida a estudar as páginas amarelas!
Lotus!?
Quattro!?

Ainda por cima obrigou a Microsoft a informar o modo que se pode dar a volta a este problema o que se traduz num problema ainda maior. Quem diz que o Linux é difícil tem que ler esta jóia aconselhada pela Microsoft.

Há gajos bem piores do que eu para dizer mal da Microsoft!

PS: Concordo que este procedimento não tenha sido executado da melhor forma, leia-se transparente e pela "calada da noite", mas isso é um mero pormenor.

2 comentários:

Cafonso disse...

Ainda há pouco tempo estive a converter ficheiros wordstar para html so what?

Lá por não ser comum não quer dizer que por vezes não se tenha uns documentos interessantes já com uns 18 ou 19 aninhos.

É por estas coisas que convem ter normas sobre formatos de documentos como o ODF para não andarmos sempre a catar utilitários que nos permitam ressuscitar os nossos documentos mais antigos.

jocaferro disse...

Como tinha dito, também tenho ficheiros com muitos anos. Porém, no caso de ficheiros texto optei por os passar a "rtf".
Recentemente, optei por passar tudo para pdf.

Em qualquer um dos casos estou a falar de standards pelo que não se pode dizer que não existem ou existissem.

Claro que um formato standard global que esteja livre de grilhetas proprietárias, leia-se ODF, já devia existir há muito tempo caso não fosse uns senhores que tem a mania que mandam no Mundo, leia-se M$.

@braço.