terça-feira, setembro 11, 2007

AINDA O OOXML...

Depois de ler atentamente os textos enviados para a ISO pelos vários países intervenientes, saltou-me à vista um "pequeno" pormenor que me deixou estupefacto.

Portugal enviou 17 páginas de comentários!!

E votou SIM!

Comparem com os outros países que votaram NÃO.

Portanto, ou não leram bem as instruções ou só posso pensar noutra coisa que nem tenho coragem para escrever.

Para terminar gostaria de louvar a decisão da Bélgica, que com apenas uma página explica de uma forma contundente a razão do NÃO. Para quem não quer perder muito tempo:

-"1) The Belgian mirror group finds it very unfortunate for ISO to support and develop different office document description standards (such as ISO/IEC 26300 and ECMA 376) offering a number of similar functionalities. The group furthermore has been informed that for some of these standards future extensions are being proposed, which should further increase the overlap between their functionalities. The group therefore urges the organizations promoting those separate standards to work together, to develop a common set of functionalities and to integrate them into a unique common base that every document description standard should understand.

2) To facilitate this objective, the Belgian mirror group proposes to deal separately with the issue of backwards compatibility with existing legacy documents, which is also a very useful objective."


Mais nada!

Para quem estiver interessado em descarregar um ficheiro "zip", carregado de documentos em formato "doc"!, siga este link.

2 comentários:

Bruno Miguel disse...

Possivelmente as 17 páginas da comissão portuguesa contêm uma análise da época futebolística a decorrer, porque, diz quem lá esteve, a qualidade do formato foi coisa que não se debateu.

Cafonso disse...

O Jocaferro e Bruno Miguel não é nada disso é o nosso espírito de leitura a regra diz não conduzir veículos a mais de 120 km na auto-estrada, alguns de nós são apanhados a conduzir a 210 km em estradas de qualidade inferior.

Se algo está escrito que nos diga se fizer isto tem que fazer aquilo aquilo que fazemos é aquilo que nos dá na real gana.

Isso de cumprir regras com as quais não concordemos (ou nem sequer conhecemos porque não nos demos ao trabalho de as ler algo similar aquilo que fizemos com a proposta de standard - 6000 página levo eu a ler 2 meses e depois ainda há que as interpretar) é verdadeiramente aborrecido.

Como sabes José algumas das entidades que votaram a favor estão completamente dependentes da Microsoft e esta nem necessita de lhes dizer nada para que ajam de acordo com aquilo que seja melhor para elas.

(Um pouco à imagem da vinda do Dalai Lama e da sua não recepção por nenhum membro do governo para não criar qualquer atrito com o país mais livre à face da terra chamado RP da China.)