segunda-feira, maio 14, 2007

AH... AH... AH... (2) -continuação

Bem, lá ficará o Callabriga e os camarões para outra ocasião, prontamente substituídos por umas Bohemia e tremoços...
Como disponho de muito pouco tempo, não poderia de modo algum andar a ensinar tudo o que é diferente em Linux. As questões mais frequentes, Office+msn+Outlook+skype, foram (e são) de fácil resolução. O problema mesmo são os jogos. O Wine tornou-se num inimigo brutal. Virou-se contra nós e esteve bem perto de ganhar esta batalha, mas no fim de contas lá cedeu e um dos meus amigos já podem jogar à vontade os jogos preferidos. Apenas um porque o outro usa o computador para trabalhar!!!

Uma das questões colocadas por Bruno, aquando da dica do "localhost", visitante habitual deste blog e colaborador de WebTuga, foi que o Wine ficava mais lento após a modificação. Em qualquer dos dois computadores não notei, à primeira vista, nada de anormal no funcionamento do Wine. Num deles instalei o Wine e só depois fiz alteração enquanto no outro fiz exactamente o inverso, obtendo os mesmos resultados finais.

Um jogo apresentou um pequeno problema mas esse só poderá ser ultrapassado de uma forma radical, ou seja, comprar uma versão legal do mesmo uma vez que não o meu amigo não conseguiu lidar com o "crack". Claro que de mim não obteve qualquer ajuda e a resposta que levou, "compra um Window$ legal e pede a outra pessoa para te aturar", também não o deve ter entusiasmado.

Como todos sabem a pirataria é um acto ilegal e não sou (nem serei) eu a algum dia colocar qualquer pessoa em risco de ser apanhada, por vezes sem se darem conta, a desrespeitar a Lei. Contudo existem sempre alguns manhosos sem escrúpulos que tratam de tudo o que quisermos baseados no célebre princípio "o cliente é que pediu". Em alguns nem é preciso pedir. Não satisfeitos com esta ilegalidade ainda cobram pelo serviço...

Em jeito de conclusão, lá ficaram mais dois utilizadores a contar para as estatísticas do Linux e completamente livres quer das grilhetas do Monopolio$oft quanto de serem apanhados a transgredir a Lei.

PS: Todo este trabalho com o Ubuntu acabou por dar em nada.
Não valeu de nada eu ter tentado "impingir" o Ubuntu.
Quase fiquei de rastos com a volta que as coisas deram.
Berrei,
Gritei,
Quase chorei...

Não há dúvida nenhuma que ganharam os "adoradores" do Kde. Lá teve que ser o kubuntu!

3 comentários:

Bruno disse...

A única aplicação que testei com o Wine, depois de usar essa hack, foi o Football Manager 2007.
O jogo, só por si é um pouco pesado, mas a base de dados que usa faz com que o jogo se arraste um pouco. Mas quando usei a hack notei alguma diminuição da velocidade de resposta do jogo; parecia que estava a jogar o jogo em Windows (o jogo corre-me mais rápido em Linux que corria em Windows).

KDE?! Yuk... O KDE pode ser muito poderoso e tal, mas acho o Gnome muito mais funcional que o KDE. O XFCE também é porreiro e o enlightnment também (pena é a versão e17 ainda ser muito instável).

Francisco Costa disse...

3 num fim de semana

Bolas! Este fim de semana decidi instalar o Ubuntu 7.04 (Feisty) no meu portátil Acer Aspire 5051, até agora tinha usado o OpenSuse 10.2.
A instalação correu sem problemas e relativamente rápido, problemas, mesmo foi depois de arrancar, o som não funcionava e como já era de esperar a minha placa wireless da Broadcom também não. Ainda tentei lutar com o S.O. e procurei maneira de por o som e a wireless a trabalhar, mas como não sou grande fã do Gnome decidi instalar outro S.O. a ver como era.
Fui ao meu PC e saquei o Caixa Mágica 11. Mais um processo de instalação sem problemas, adeus Ubuntu, viva o que é Português, mas bolas, os mesmos problemas, népia de som e wireless como é óbvio nem pensar, pelo pouco tempo que tive com o CM11 gostei e além disso pelos vistos suporta as placas 3G Vodafone e TMN, porque durante o processo de instalação perguntou-me se queria ligar à net com algum destes dispositivos. Mas como nem o som nem a wireless funcionavam, decidi voltar ao inicio e instalar o OpenSuse 10.2, neste sei que o som funciona apesar de no arranque do sistema surgirem erros. A wireless da Broadcom será um luta a continuar visto que também não funciona no OpenSuse. Já me esquecia de mencionar que o Ubuntu surprendeu-me pelo facto de suportar quase todas as teclas especiais do meu portátil... enquanto que no CM11 e OpenSuse tive que instalar o Acer_hq para conseguir que as ditas funcionem.
Neste momento OpenSuse e KDE ainda mandam no meu portátil...

jocaferro disse...

Para mim tudo é bom.
Gnome, kde, xfce, Fluxbox...
A isto chama-se liberdade de escolha!

O pessoal gostou mais porque foi mais fácil a adaptação pós-traumática que sofreram durante grande parte das suas vidas.

@francisco costa:
Escuso de dizer que o openSuse continua a ser o meu "Amor de Perdição", mas o Ubuntu está cada vez melhor e pressinto que veio para ficar e limpar as Treva$ do Mundo.
A Be$ta já treme...

@braço.

PS: Tenho que pôr o puto a jogar o CM. Ele é que é o entendido na matéria. Depois comunico, ok?