quinta-feira, fevereiro 07, 2008

E AGORA!?

Andavam por aí a colocar a fasquia de USD 44,6 mil milhões para a "OPA" da M$ à YAHOO.
Para não me armar em gestor, como alguém acusava há pouco tempo neste post do Bruno, vamos lá a umas simples contas de sumir (*):
A oferta da M$ ascendia, realmente, a essa verba partindo do pressuposto preço de $ 31 por acção da YAHOO só que, metade seria em dinheiro e a outra metade em acções da M$ (**).
Desde a oferta as acções da M$ baixaram cerca de 13% (***) ou seja passaram de $33 para $29. Mantendo-se a oferta inicial os detentores das acções da YAHOO, em média, "apenas" receberão:
- metade em dinheiro - $ 15,5;
- metade em acções da M$ - $ 14,5.

Se considerarmos apenas metal sonante ainda continua a ser muito dinheiro embora neste momento a oferta tenha descido cerca de $ 2,2 mil milhões.

E agora!?
Aguarda-se com atenção as cenas dos próximos capítulos...

Lido em Silicon Alley Inside.

(*) - sumir é propositado.
(**) - é notória a apetência que a M$ tem em andar a distribuir acções. Como poderiam de outra forma manter o célebre esquema piramidal das suas finanças!?
Prevejo que existirá uma cláusula especial que não permitirá a venda imediata das acções da M$ mas isso sou eu armado em (e)vidente!
(***) - poderá não ser apenas fruto da recessão económica...

2 comentários:

brunomiguel disse...

Acho que a não aquisição vai ser menos má para Microsoft. O Yahoo! já tem a imagem definida, mas se a Microsoft lhe mete as mãos, essa imagem vai à vida, e quem perde é a Microsoft. Se não adquirir, os efeitos negativos vão ser de pouca dura - pelo menos, quando comparados com a aquisição.

Esta pressa em comprar o Yahoo! mostra-me que as coisas na empresa não vão assim tão bem. No último ano fiscal tiveram que adquirir algumas empresas e lançar ou anunciar alguns serviços para as acções valorizarem. Se não, tinha sido um ano menos bom.
E agora que o Ballmer anunciou a disponibilização do surface ainda este ano, quando já tinham dito que só ia estar disponível daqui a alguns anos por ser uma tecnologia muito pouco desenvolvida, sou levado a pensar pensar que aquilo não anda bem para aqueles lados.

Ah, e o lançamento do SP1 do Windows Vista, que começou a ser desenvolvido poucos meses depois do lançamento do Vista, é outro indicador.

Dying empire?!

brunomiguel disse...

Já me esquecia que a União Europeia está outra vez a analisar as acções da Microsoft, desta vez por causa do OOXML.
A condenação por monopólio e o cuidado que a UE está a ter com a empresa também não ajudam a valorizar a empresa na bolsa. E se morre na bolsa, fecha portas. (era tão bom, não era?)